domingo, 24 de outubro de 2010

Luís de Camões e o Amor

Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
É um andar solitário entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É um cuidar que se ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade
É servir a quem vence o vencedor,
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade;

Se tão contrário a si é o mesmo amor?

Nenhum comentário:

Contador de Leitura das Páginas - Counter All Hits (desde 31/06/2006)

Contador de Visitantes (de_18/08/2009_até_hoje)

Localização dos Visitantes (de_28/04/2010_até hoje)

Localização dos Visitantes do Antigo Blog (de 21 Agosto 2009 até hoje)