Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2010

de 1864 a 1870 - A Guerra do Paraguai

Imagem
Batalha naval de Riachuelo (junho/1865), pintada por Victor Meirelles.
» A Guerra do Paraguai, ou Guerra da Tríplice Aliança, começou em 1864 e terminou em 1870. Brasil, Argentina e Uruguai se uniram em 1º de maio de 1865, assinando um tratado contra o Paraguai. O conflito foi iniciado quando as relações entre Brasil e Uruguai ficaram críticas devido a choques na fronteira entre estancieiros uruguaios e fazendeiros do Rio Grande do Sul. Apoiado pelo presidente paraguaio Francisco Solano Lopez, o presidente uruguaio Atanasio Aguirre recusou as exigências brasileiras de reparação pedidas pelo enviado brasileiro José Antônio Saraiva. Os brasileiros sitiaram Montevidéu e derrubaram Aguirre. Os aliados conseguiram em 1865 a vitória naval da batalha do Riachuelo e a rendição dos paraguaios que haviam chegado a Uruguaiana no Rio Grande do Sul. Quando Luís Alves de Lima e Silva, então Marquês de Caxias, assumiu o comando e a fortaleza de Humaitá foi conquistada (1867), Lopez se retirou para pe…

Lindsey Shaw and Amanda Elkins

Imagem

O que o faz sentir-se vivo?

Imagem
“Don’t ask what the world needs. Ask what makes you come alive, and go do it. Because what the world needs is people who have come alive.” Howard Thurman

A fragilidade dos laços humanos

Imagem
O título do livro do sociólogo polonês Zigmunt Bauman é sugestivo e, sobretudo, apropriado para um sentimento que não se submete docilmente a definições. Professor emérito de sociologia nas Universidades de Varsóvia e de Leeds, na Inglaterra, ele tem vários livros traduzidos para o português, e o tema recorrente em sua obra são os vínculos sociais possíveis no mundo atual, neste tempo que se convencionou denominar de pós-modernidade.
A noção de liquidez, quando se refere às relações humanas, tem um sentido inverso ao empregado nas relações bancárias, a disponibilidade de recursos financeiros. A liquidez de quem tem uma conta polpuda no banco, acessível a partir de um comando eletrônico é capaz de tornar qualquer desejo uma realidade concreta. É um atributo potencializador. O amor líquido, ao contrário, é a sensação de bolsos vazios.
É preciso deixar claro que Bauman não se propõe a indicar ao leitor fórmulas de como obter sucesso nas conquistas amorosas, nem como mantê-las atraentes ao …

Ou isto ou aquilo da Cecilia Meireles

Ou isto ou aquilo
Ou se tem chuva e não se tem sol,
ou se tem sol e não se tem chuva!

Ou se calça a luva e não se põe o anel,
ou se põe o anel e não se calça a luva!

Quem sobe nos ares não fica no chão,
quem fica no chão não sobe nos ares.

É uma grande pena que não se possa
estar ao mesmo tempo nos dois lugares!

Ou guardo o dinheiro e não compro o doce,
ou compro o doce e gasto o dinheiro.

Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo...
e vivo escolhendo o dia inteiro!

Não sei se brinco, não sei se estudo,
se saio correndo ou fico tranqüilo.

Mas não consegui entender ainda
qual é melhor: se é isto ou aquilo.
Cecilia Meireles (Ou isto ou aquilo, Editora Nova Fronteira, 1990 - Rio de Janeiro, Brasil.)

Um amor líquido

A modernidade líquida em que vivemos traz consigo uma misteriosa fragilidade dos laços Humanos - um amor líquido. A insegurança inspirada por essa condição estimula desejos conflitantes de estreitar laços e ao mesmo tempo mantê-los frouxos'. Zygmunt Bauman.

Arte Israelense

Imagem
Fotos no Facebook
Esse são trechos da reportagem do Opera Mundi: "Apesar da condenação do exército Israelense, Abergil (a ex-soldada) não pode ser punidapor não servir mais o exército".... Já para o governo palestino, que também comentou o assunto, as fotos "mostram a mentalidade do ocupante, que se orgulha de humilhar os palestinos" Por um lado, temos conhecimentos, técnicas e métodos para o desenvolvimento dos Seres Humanos. Por outro, um imensa desvalorização dos mesmos. Onde a nossa civilização está e para onde está indo? Quais são os valores norteadores? 
Enquanto avançamos em conhecimento e técnica, os processos de desrespeito a vida e aos seres humanos continuam se repetindo. Eu me pergunto onde localizam-se as causas bases dessa repetição. Para ter uma lembrança do passado recente, volto a citar os documentários: a) Utopia e Barbárie b) Os EUA contra John Lennon Fonte: http://operamundi.uol.com.br/noticias/EXSOLDADA+ISRAELENSE+DIVULGA+FOTOS+AO+LADO+DE+PRISIONEIRO…

Administração e Roman Polanski

É interessante como a arte leva lenha para diversos assuntos, neste caso a administração. O ESCRITOR FANTASMA é o novo filme do Polanski. Nele o autor especula sobre as possibilidades de manipulação dos governos.  Mas a intenção aqui é não contar detalhes do filme, e sim, detalhes da administração.
Encontrar princípios norteadores nas empresas, as quais permaneceram ao longo de décadas consideradas as maiores do mundo, foi o tema de uma  pesquisa apresentada em um dos cafés filosóficos desse ano (2010) da TV Cultura. Um dos fatores foi um certo conservadorismo, isto é, uma posição de manter-se a certa distancia dos modismos. É exatamente esse o resultado parcial do  meu projeto de mestrado: Uma analise do discurso dos programas de desenvolvimento dos seres humanos. Os programas apenas parecem melhorar a situação dos seres humanos. Há certos ganhos, há certas melhorias para fulano ou cicrano mas não para os seres humanos. 
No filme há uma trama de espionagem. Aqui no mundo real não posso…

Eu determino a realidade? O alcance dos objetivos (notas de fim do dia)

Como reconhecer o que posso fazer?
Como reconhecer aquilo que está ao meu alcance? Como eu olho para o objeto, altera a minha percepção do mesmo. Se penso que é impossível, não irei alcançar. Se penso que é possível, estará ao meu alcance? Depende exclusivamente de mim? Depende também da ação de outros? Existe também a dependência de fatores externos?
Então, volto ao presente. Basta existir para ser completo. Aqui e agora. Paro de pensar e aceito o fluxo do universo - o destino - neste presente momento precioso. Contudo, parar de pensar não é parar de refletir. A mente desperta ouve o próprio corpo, ouvea própria respiração, ouve o ambiente, ouve os seres humanos... o plano é sempre ajustado.

ALAGOAS - ECOLOGICAL ROUTE - A TROPICAL HEAVEN ON THE EARTH

Imagem
Litoral norte de Alagoas




Fotos de Globotur Berlin
Fonte e informações: www.globotur.de
silva@globotur.de

004930-2196 4823. Mais sobre Alagoas
Álbum de Fotos, Consciência Ecológica ou
o Guia dos excursionistas criativos para passeios alternativos: 

Alagoas - como você nunca viu e nem mais verá 
http://hilarioseara.sites.uol.com.br/alagoas.htm

Nota baixa para qualidade de vida

Quanto falta para o Brasil se tornar um país onde as escolas ofereçam oportunidades reais e trabalham em conjunto com a família, onde os locais de trabalho deixem as pessoas felizes e realizadas, e onde o atendimento médico não seja apenas eficiente, mas também acolhedor aos pacientes. Pelo novo indicador de desenvolvimento lançado nesta terça-feira (10) pelo Pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), ainda falta muito para o Brasil chegar no ideal. O chamado Índice de Valores Humanos (IVH) é uma média de três outros índices que consideram a vivência e a percepção da população nas áreas da saúde (IVH-S), da educação (IVH-E) e do trabalho (IVH-T) na hora de medir o desenvolvimento em cada uma das cinco regiões do país. Em uma escala de 0 a 1, são pontuados, por exemplo, o respeito no atendimento médico, a qualidade da convivência escolar e familiar e as experiências positivas no ambiente profissional. Neste primeiro levantamento feito por pesquisadores brasileiros, foram o…

Qualidade de Vida no Brasil

Confira as perguntas usadas pelo Pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) para medir a qualidade de vida no Brasil. Foram ouvidas 1.887 pessoas em 148 cidades de 24 unidades da federação. Os dados foram agrupados por regiões e divididos em três sub índices: saúde, educação e trabalho.

Na área da saúde, as perguntas focaram na qualidade do atendimento médico e na humanização dos procedimentos. Já na educação, o questionário tentou abordar a relação entre a famílias e os professores. E no mundo do trabalho, as perguntas foram voltadas para as vivências de prazer e sofrimento.

Segundo os organizadores, as perguntas foram propositalmente feitas de maneira simples e direta.

1) Na última vez que você esteve no médico ou no posto de saúde ou hospital você sentiu que o tempo de espera foi:
( ) muito/demorado
( ) normal
( ) razoável
( ) pouco/rápido

2) Você achou que a linguagem usada pelos médicos(as) e enfermeiros(as) foi:
( ) muito difícil
( ) um pouco difícil
( ) normal
( ) f…

Londres e Italia

Imagem
Em breve, posto as fotos de Londres. Mas enquanto, eu investia em arte e em viver o presente precioso em Paris e Londres, acontecia na Italia.



Ele é uma das pessoas mais sensacionais que já conheci: Stephen Gilligan.  Por muito anos, ele foi aluno do Milton Erickson

Silvana da Cunha e Leon em evento musical no curso na Italia
Fotos: Teresa Amorim

Vinicius de Moraes - Parte 1

Paulinho da Viola - Rumo dos Ventos

A toda hora rola uma história
Que é preciso estar atento
A todo instante rola um movimento
Que muda o rumo dos ventos
Quem sabe remar não estranha
Vem chegando a luz de um novo dia
O jeito é criar um outro samba
Sem rasgar a velha fantasia.

Os filmes e as imagens das férias

Imagem
Alguns filmes marcaram as férias. O primeiro foi o Segredo dos seus olhos.

O segundo é OS EUA CONTRA JOHN LENNON. O John para mim é um caso bem interessante. Nunca fui muito fã dos Beatles. Mas de alguma forma quando eu era criança, a morte dele me tocou bastante. Eu lembro. Foi o meu primeiro contato com a morte. E a obra dele pedindo uma chance para a PAZ e a forma de protestar contra a violência sem violência e através da arte, me fez lembrar Gandhi. Também, é legal de ver no filme o amadurecimento e o processo de assumir uma responsabilidade maior do cantor. Aproveitar a fama dos Beatles e a imprensa para levar a mensagem de paz e amor para os 4 cantos do planeta. 


Espero que gostem do documentário, não é um filme para todos. É um bom caminho para entender os anos de 1966 a 1972. O outro documentário Utopia e Barbarie, citado aqui, faz a metafora da representação do ano de 69 como o climax no mundo e do ano de 1989 como a grande broxada.