domingo, 13 de novembro de 2011

Retratos de Família

Retratos de Família (A familia contemporânea em cena: novas identidades sexuais, novos pais) – Diana Corso e Mário Corso

Mutações da família I: “Um filho se e quando eu quiser”, foi reivindicação atendida a partir da consolidação das conquistas feministas. A maternidade que nasce do livre arbítrio da mulher desenvolveu-se, então, longe do ideal de reclusão familiar, de papéis fixos. Mesmo em família, os filhos sentem-se sempre meio desamparados, assim como suas próprias mães, tal como a noviça órfã Maria von Trapp, precisam inventar sozinhas um modo de ser. Jovens como Mary Poppins já voavam livres ao sabor do vento, mudando a família tradicional e o papel da mãe como um redemoinho.

Retratos de Família (A familia contemporânea em cena: novas identidades sexuais, novos pais) from cpfl cultura on Vimeo.



Já em relação ao pai, o tom é sempre reivindicativo: o filho se queixa do pai que teve, embora o pai que ele pode ser tampouco lhe causa melhor impressão. Por isso, os pais são os grandes palhaços do entretenimento infanto-juvenil, numa linhagem que começou com Fred Flinstone e encontrou em Homer Simpson seu representante mais notório. Entre os pais inseguros com seu papel, o do peixinho Nemo mostra as dificuldades de ser pai quando se tem tanto medo e a mãe não está presente, além de que é muito difícil resignar-se a crescer e ocupar esse lugar, mesmo que se seja grande, forte e assustador como o ogro Shrek.

Gravada no dia 6 de maio de 2011 em Campinas.
Café Filosófico CPFL vai ao ar na TV Cultura às 22h.

Nenhum comentário:

Contador de Leitura das Páginas - Counter All Hits (desde 31/06/2006)

Contador de Visitantes (de_18/08/2009_até_hoje)

Localização dos Visitantes (de_28/04/2010_até hoje)

Localização dos Visitantes do Antigo Blog (de 21 Agosto 2009 até hoje)