sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

COP15 - um mundo auto-sustentável e a minha casa também - reescrito e ainda em modificação





Fala-se muito da situação do planeta, efeito estufa, elevação da temperaturas etc. Mas não temos inteligência, educação e nem capacidade de se organizar para cuidar do planeta e nem da nossa própria casa, cidade, estado e país. Discutimos - na verdade, a COP 15 ficou apenas na conversa - para fazermos ações globais, como também não conseguimos agir localmente.


Eu amo o modelo alemão de preservação e planejamento das cidades e principalmente do verde. O sucesso do modelo é também ligado a educação das crianças. Desde o respeito ao sinal de transito e a faixa de pedestre  como também a capacidade de esperar e só jogar algo em uma lixeira específica da coleta seletiva.


Aqui em Maceió, as crianças são assaltadas continuamente na frente de casa, ou nas paradas de ônibus ou no caminho da escola. É preciso leva-las de carro diretamente ao ponto. Os sistemas de transporte urbano são de péssima qualidade e não possuem controle de horários nas paradas. A proteção é não chamar atenção e não carregar nada de valor. Mesmo sendo uma das capitais onde os adolecentes consumem menos álcool. Eu penso em como estará a situação nas outras cidades.
"Eu tô cansado dessa merda"Todos falam bastante, mas os governos não se comprometem. 



Comprometimento tem duas prioridades básicas:
TEMPO E DINHEIRO

Mas o que a população está fazendo? Como você e eu estamos nos comportando? O que mais nós podemos fazer?

Eu não deveria nem citar cobrar ação e educação básica dos políticos e governos. Pois, isso é primordial.

Um exemplo: em 2004, fizemos uma homepage para mostrar trilhas e pontos de ecoturismo e sobre a situação do meio ambiente de Alagoas http://hilarioseara.sites.uol.com.br/alagoas.htm. Houve algumas melhoras, mas o ritmo de destruição é maior. Passa o tempo e os problemas se agravam, por exemplo: o lixão municipal continua a céu aberto, esgoto in natura ainda jogado na praia e lagoas. A salvação das praias da costa alagoana foi a crise econômica global (2008-2009). Os investimentos Europeus em condomínios e Hoteis na beira mar foram suspensos, por enquanto. Os coqueiros e mangues sobrevivem.  A próxima vítima é a praia de Pataxo. Até esse ano, completamente desconhecida e sem acesso. Foi eleita uma das 10 praias mais bonitas do Brasil (Guia 4 Rodas)



Então, eu me pergunto: o que podemos fazer? Temos alguma força? Somos todos vitimas de políticos ou de nós mesmos? Conformismo? Inércia? São muitas perguntas. Como estamos contribuindo para a Educação da população? Para a nossa Educação? No QUE eu estou pensando e COMO estou pensado que contribui para essa situação?


A dor maior é quando pesa no bolso? Até que ponto nós podemos mudar os nossos padrões de consumo para não usamos certos produtos e nem consumir produtos oriundos de certas empresas ou de países poluidores, como a China e os EUA.


Vamos agir!


PS: Obama, as nações democráticas possuem Senado, não é apenas os EUA que precisam da aprovação do congresso. Faça acontecer. As gerações futuras e o planeta agradeceriam bastante.

Alemanha - Angela Merkel

Brasil - Lula


Prefácio à atualização de 2006 do site (Alagoas - como você nunca viu e nem mais verá):
A importância de contribuir com a expansão de uma  consciência ecológica, não é apenas para a preservação da natureza e para se viver num mundo auto-sustentável, é também para possibilitar ao ser humano a experiência de paz, plenitude e realização.
Vários seres humanos em suas vidas agitadas, em busca de dinheiro, sucesso, realização profissional e conquistas amorosas acabam por perder contato com a essência de sua própria vida e os ciclos pelos quais a vida transcorre. O resultado disso é observado nos diversos conflitos do nosso mundo atual.
O resgate do contato com a natureza pode propiciar: introspecções e reflexões sobre os valores e crenças adotados pela própria pessoa; a reordenação de importância do que realmente se quer da vida; o surgimento de novas amizades; uma compreensão da natureza impermanente da vida, e por fim, uma experiência do precioso momento presente.

Atenciosamente,
Hilário Seara



Prefácio à futura atualização do site em 2010. As melhoras são a construção, em andamento, do esgotamento sanitário da orla e a revitalização do calcadão com ciclovia e caminho separado para  jogging e caminhadas. Mas o Lixão ao céu aberto (depósito de lixo municipal), o Córrego Salgadinho despejando no mar aquele caldo grosso (mesmo depois de milhões do nosso dinheiro investido na revitalização), ainda exitem... e assim a lista de problemas continua. 


Descobri esse detalhe apenas esse ano. Reparem nos coqueiros em volta da Braskem - indústria Química - na praia da Avenida. São os únicos coqueiros do estado que continuamente possuem as folhas queimadas. Será coincidência? Será a ação do cloro e demais resíduos produzidos pela empresa. 
Um leitor me escreveu e disse que o queimado das palhas dos coqueiros pode ser por causa da alta salinidade da região, mas citou que é frequente os vazamentos  de cloro para a Lagoa Mundau na altura da Moto Náutica, pelo menos 2 por mês em 2009. Isso é registrado, pois houve o chamado de diversas vezes de ambulâncias para socorrer as vitimas por respirarem a grande quantidade de Cloro.

Nenhum comentário:

Contador de Leitura das Páginas - Counter All Hits (desde 31/06/2006)

Contador de Visitantes (de_18/08/2009_até_hoje)

Localização dos Visitantes (de_28/04/2010_até hoje)

Localização dos Visitantes do Antigo Blog (de 21 Agosto 2009 até hoje)